Gestão de Projetos em TI: o que é e qual sua importância?

Gestão de Projetos em TI

Todos sabem que as áreas comercial e marketing têm certas restrições com as áreas de governança e gestão de projetos PMO. De um lado porque a empresa precisa vender com agilidade, sobretudo num mercado tão agressivo e competitivo, além da liberdade e mobilidade que as equipes devem ter. Por outro lado, a empresa necessita de controles e políticas rígidas para obter visões gerenciais adequadas e processos íntegros para tomada de decisões certeiras e para traçar novos rumos para o negócio.

Nesse artigo, vamos falar sobre a importância da Gestão de Projetos em TI e como seus processos executados de forma eficiente podem fazer a diferença nas empresas.

Como equilibrar esta equação?

Gestão de Projetos e Customer Success

O conhecimento e a experiência juntos com a maturidade das equipes são fundamentais neste processo, não se aplicando apenas a teoria ou uma “receita de bolo”, mas sim o bom senso e o estudo aprofundado sobre a empresa, o tipo de negócio, as metas e onde se espera chegar.

Outro fator importante é o patrocínio claro e com regras bem definidas da alta direção das empresas. Isso porque se ajustam áreas e pessoas no decorrer de todo o caminho, além do investimento em tecnologias e ferramentas necessárias ao bom andamento do processo.

Com isso, a visão do Gerente de Projetos deve ser ajustada e continuamente reciclada focando nas novas tendências, mas sem perder a essência dos controles e monitoramentos necessários para um projeto.

O conhecimento das tecnologias e ferramentas SaaS também é fundamental neste processo, uma vez que cada setor e/ou segmento possui suas regras, normas e principalmente conceitos.

Gestão de Projetos na prática

Gestão de Projetos na prática

No caso das empresas SaaS, existe um conceito conhecido como Customer Success, que é o Sucesso do Cliente. Ele reúne um conjunto de técnicas e ferramentas que vão desde a geração de oportunidades “quentes”, ou seja, mais precisas, direcionadas ao cliente/segmento, mantendo até a objetividade e foco na manutenção ou continuidade da permanência destes clientes na empresa. Estas métricas podem ser acompanhadas por alguns indicadores – caso a caso, empresa a empresa – onde temos, por exemplo, o LTV (Life Time Value) médio, o churn (variação da carteira de clientes) que pode ser demonstrado por quantidade ou por receita média, entre outros tão importantes quanto os apresentados.

Notem que aqui também estamos falando em processos, procedimentos, monitoramento, controle e indicadores (KPI´s). Ou seja, este conceito visa a continuidade e acompanhamento do cliente durante toda a permanência do mesmo na empresa com áreas e pessoas exclusivas nestas atividades.

Aqui temos um processo cíclico que visa a permanência do cliente final, fomentando para esta “base” novos negócios, além de fazer com que eles sejam os multiplicadores (advogados) naturais dos nossos produtos e serviços.

Já as empresas com estruturas organizacionais projetizadas como Software Houses ou Consultorias, por exemplo, da mesma forma possuem entradas, ferramentas e processos e saídas, contudo as medições são faseadas e por projetos, programas ou produtos. Nesse caso temos indicadores de escopo, custos, tempo e qualidade – restrição tripla – além de controlarmos e monitorarmos riscos, gestão de mudanças e recursos envolvidos no projeto.

Temos um ciclo de vida com começo, meio e fim que devidamente gerenciado e monitorado garante ao cliente a eficácia na entrega, respeitando os prazos estipulados no plano de projeto e com a qualidade adequada e contratada pelo cliente. Aí pode-se dizer que há grande confusão, ou seja, enquanto o Customer Success é um conceito aplicado ao cliente desde a prospecção até que este se mantenha na carteira da empresa, a Gestão de Projetos é uma metodologia de controle e monitoramento de um conjunto de ações que transformam uma ideia/desejo em realidade e se finaliza, abrindo espaço para outros projetos.

A importância da Gestão de Projetos

A importância da Gestão de Projetos

Podemos afirmar que o GP (Gerente de Projetos) deve promover ações de reestruturação de áreas, processos, pessoas e ferramentas, entregando este “pacote” finalizado para que o CSM (Customer Success Manager) possa dar foco em suas equipes multidisciplinares de controle do cliente, cada qual com seu foco e atribuições.

Notem a importância da Gestão de Projetos em TI e como ela pode ajudar a empresa. Ainda que uma organização adote conceitos concretos e necessários e ainda metodologias mais eficientes e modernas em gestão, é preciso atenção no dia-a-dia, negócio, cultura, missão e valores da empresa a fim de evitar que seus esforços sejam desperdiçados.

Para se otimizar este processo e seguindo as dicas, enfatizamos que a Gestão de Projetos deve ser encarada como fator principal e essencial para se implementar conceitos, técnicas e ferramentas, respeitando a visão e missão da empresa, focando no que é necessário para alcançar determinado objetivo e evoluindo continuamente com a “reciclagem” dos profissionais e com o aprimoramento de técnicas e ferramentas. Através de bases históricas e lições aprendidas, além da maturidade da empresa e equipe, é possível desburocratizar as atividades e otimizar os processos, permitindo que cada área tenha seu foco e objetivos claros e definidos. Outra vantagem é poder gerenciar e promover junto ao corpo diretivo informações precisas e rápidas através de dashboards e planos de ações efetivos com visão estratégica para tomada de decisão.

Trocando em miúdos, projetos têm início, meio e fim com objetivos claros e definidos, enquanto conceitos de mercado e técnicas são cíclicos e dependem dos indicadores e ferramentais para direcionamento e orientação.

E você? Como acha que uma boa Gestão de Projetos pode melhorar os processos nas empresas de TI? Divida sua experiência nos comentários abaixo.

E-book "Guia para o sucesso na carreira de TI"

versao-4